quinta-feira, 22 de março de 2018

Subjuntivo dos verbos ser e estar



O verbo ser é anômalo, ou seja, apresenta no radical  alterações mais profundas que os verbos irregulares. 

Presente do indicativo: eu sou, tu és, ele é, nós somos, vós sois, eles são.
Pretérito perfeito do indicativo: eu fui, tu foste, ele foi, nós fomos, vós fostes, eles foram.
Pretérito imperfeito do indicativo: eu era, tu eras, ele era, nós éramos, vós éreis, eles eram
Pretérito mais que perfeito do indicativo: eu fora, tu foras, eles fora, nós fôramos, vós fôreis, eles foram.
Futuro do presente do indicativo: eu serei, tu serás, ele será, nós seremos, vós sereis, eles serão.
Futuro do pretérito do indicativo: eu seria, tu serias, ele seria, nós seríamos, vós seríeis, eles seriam.

Presente do subjuntivo: que eu seja, que tu sejas, que ele seja, que nós sejamos, que vós sejais, que eles sejam.
Pretérito imperfeito do subjuntivo: se eu fosse, se tu fosses, se ele fosse, se nós fôssemos, se vós fôsseis, se eles fossem.
Futuro do subjuntivo: quando eu for, quando tu fores, quando ele for, quando nós formos, quando vós fordes, quando eles forem.

Imperativo afirmativo: sê tu, seja você, sejamos nós, sede vós, sejam vocês.
Imperativo negativo: não sejas tu, não seja você, não sejamos nós, não sejais vós, não sejam vocês.

Infinitivo pessoal: ser, seres, ser, sermos, serdes, serem.
Gerúndio: sendo.
Particípio: sido.


terça-feira, 10 de outubro de 2017

VERBO ASPIRAR


        Dá-se o nome de regência à relação de subordinação que ocorre entre um verbo (ou um nome) e seus complementos. Ocupa-se em estabelecer relações entre as palavras, criando frases não ambíguas, que expressem efetivamente o sentido desejado, que sejam corretas e claras.
       A regência verbal estuda a relação que se estabelece entre os verbos e os termos que os complementam (objetos diretos e objetos indiretos) ou caracterizam (adjuntos adverbiais).